Lê a nossa página e vê o que fazemos!

30 março, 2017

Semana da Leitura 2017 - Leituras vendadas

Na Semana da Leitura 2017 a Biblioteca Escolar Ferreira de Castro proporcionou à comunidade educativa inúmeras atividades de incentivo à leitura.

No dia 27 de março tivemos a atividade Leituras Vendadas. Alunos de 5º ano ouviram ler de olhos vendados,  lendo sem ver, lendo escutando,  lendo para dentro imaginando.



Focar a atenção no que se ouve ler e transformar o que se escuta em imagens cerebrais, faz de cada ouvinte um genuíno construtor de histórias capaz de entender emoções.



Após três anos de ter recebido o Prémio Nobel da Literatura, José Saramago publica o conto A maior Flor do Mundo. É  precisamente este conto que os alunos  ouviram ler de olhos vendados, lido pelas professoras Rita Proença e Anabela Carvalho, tendo como fundo um tema musical.



Esta é a história de um menino que se torna um herói quando arrisca tudo para salvar uma flor que estava a morrer.


Parece ser a medo que José Saramago escreve esta história e confessa :
As histórias para crianças devem ser escritas com palavras muito simples… 
Quem me dera saber escrever essas histórias…
José Saramago



Este é um conto de uma subtileza tal que toca todos os corações de olhos vendados. O protagonista da história enfrenta todas as limitações e dificuldades para ajudar uma pequena flor que se torna muito maior que o menino. Como diz Saramago: o menino tinha sido capaz de fazer uma coisa que era muito maior do que o seu tamanho e do que todos os tamanhos.


Valemos pelo que fazemos e não pelo nosso tamanho, é o que concluem os alunos depois de terem tirado a venda e debatido a moral da história.


Depois de escutarem a história e de a discutirem em grupo revelando o que imaginaram ser este conto, os alunos visionaram um filme de animação de Juan Pablo Etcheverry , baseado neste conto, e em que José Saramago aparece como personagem e é o narrador.


Este era o conto que eu queria contar. Tenho muita pena de não saber escrever histórias para crianças. Mas ao menos ficaram sabendo como a história seria, e poderão contá-la doutra maneira, com palavras mais simples do que as minhas, e talvez mais tarde venham a saber escrever histórias para crianças…
José Saramago


E se as histórias para crianças passassem a ser de leitura obrigatória para os adultos?
Seriam eles capazes de aprender realmente o que há tanto tempo têm andado a ensinar?
José Saramago

Sem comentários:

Enviar um comentário